REPEQUAB se consolida e quer agregar novos  pesquisadores que trabalham com queijos artesanais

Iniciativa do FoRC, rede de pesquisa visa ampliar base de cientistas dedicados ao tema no País e incentivar trabalhos conjuntos.

A Rede de Pesquisas em Queijos Artesanais Brasileiros (REPEQUAB) convida pesquisadores de todo o Brasil, que se dedicam ao tema “queijos artesanais”, para integrar seu quadro de pesquisa. Criada em julho deste ano por iniciativa do Centro de Pesquisas em Alimentos (FoRC – Food Research Center), a rede conta hoje com 30 pesquisadores de diversas regiões do País e já realizou dois encontros, um no Sudeste, outro no Nordeste. O próximo será em local e datas a serem definidos brevemente.

“Queremos dar visibilidade à REPEQUAB, porque percebemos que há muita gente trabalhando com queijos artesanais e, se unirmos esforços, poderemos obter resultados conjuntos sem desperdiçar recursos e tempo”, resume a professora Bernadette Dora Gombossy de Mello Franco, que coordena a rede ao lado de outros cinco pesquisadores: Christian Hoffmann (FCF/USP), Cynthia Jurkiewicz Kunigk (Instituto Mauá de Tecnologia), Gustavo Augusto Lacorte (IFMG), Mariza Landgraf (FCF/USP) e Uelinton Manoel Pinto (FCF/USP).

Os pesquisadores interessados em participar da rede devem se cadastrar neste link: http://www.repequab.com.br/integre-se-a-rede. A REPEQUAB também busca parcerias com instituições interessadas em apoiar pesquisas cujas temáticas, em geral, dizem respeito à qualidade dos queijos artesanais produzidos no País. Mais informações podem ser obtidas no site www.repequab.com.br/, onde consta também a lista dos pesquisadores integrantes, com dados que viabilizem mais colaborações (área de pesquisa, disponibilidade de amostras, tipos de análises que cada um faz etc).

Encontros da rede – O primeiro encontro da rede ocorreu em agosto deste ano, em São Paulo, na Universidade de São Paulo, quando foram apresentados resultados de pesquisa e definidas algumas estratégias de atuação da REPEQUAB. São elas: fomentar e aprimorar a extensão universitária aos produtores; aproximar os pesquisadores dos produtores por meio de instituições como a Emater e associações de produtores locais; e envolver estudantes de graduação e pós-graduação nos trabalhos.

Em outubro último, aconteceu o segundo encontro, em Maceió (AL), durante o 30° Congresso Brasileiro de Microbiologia. O evento contou com cerca de cem participantes, estudantes e pesquisadores de várias regiões do Brasil. Além de aspectos mercadológicos e legislativos da produção artesanal brasileira, foram apresentados resultados preliminares de pesquisas feitas por integrantes da rede.

Projeto Canastra – A REPEQUAB surgiu quando pesquisadores do FoRC iniciaram um projeto junto aos produtores de queijo da Serra da Canastra (MG) para caracterização das bactérias envolvidas na produção dos queijos artesanais da região. Realizado com o apoio da Emater-MG e da APROCAN – Associação de Produtores de Queijos da Canastra, o trabalho tem o objetivo de auxiliar os produtores a adotarem boas práticas de produção.

Os pesquisadores do FoRC já estiveram duas vezes na Serra da Canastra, na cidade de São Roque de Minas (MG). “Uma nova visita deverá ser feita ainda este ano, na primeira semana de dezembro, durante a qual os pesquisadores se reunirão com a associação dos produtores para fazer um relato do andamento das pesquisas e planejar atividades futuras”, afirma Christian Hoffmann.

 

***********************

 

Atendimento à imprensa:

Acadêmica Agência de Comunicação
(11) 5549-1963 / 5081-5237

Angela Trabbold – angela@academica.jor.br